Filmes Tomie + Comparação Com O Mangá

Olá, tudo bom? (^・ω・^ ) Há algum tempo fiz, aqui, a indicação do mangá Tomie, de Junji Ito e, como prometido, venho com as resenhas dos filmes e comparações com o mangá. 

O enredo inicial é basicamente o mesmo do mangá, então você só precisa saber que Tomie não é uma criatura humana. Ela desperta a obsessão nos homens a ponto de que eles a matem. Mas ela sempre acaba ressuscitando ou gerando novas Tomies.
O mangá, de dois volumes, foi adaptado para uma série de nove filmes, tendo a participação do autor. Já que são muitos, irei fazer comentários rápidos e objetivos sobre cada um, para que o post não fique tão longo. Contém spoilers!

Tomie (1999): O primeiro filme é ruim. Sério, não estou sendo má. De forma bem confusa, é contado sobre a criação de uma das Tomie (não é esclarecido nada), enquanto a protagonista, Tsukiko, uma estudante de arte, tenta se lembrar de um acidente que aconteceu há muito tempo. Ao mesmo tempo, o detetive Tomoro Taguchi conduz uma investigação sobre a morte da aluna Tomie Kawakami e é só isso.
Depois, claro Tomie acaba aparecendo. Acontece que este filme foi totalmente chato. Não houve suspense, cenas de terror ou qualquer coisa que desse alguma emoção. Até mesmo as cenas de morte são entediantes. E não entendi o porquê de tanto suspense em mostrar a cara dela.Nada foi explicado certo e a estória não é parecida com nenhuma das do mangá. Ao contrário, foi totalmente o oposto. Em capítulo algum do mangá original Tomie tem algum envolvimento romântico com alguma das protagonistas mas, neste filme, ela acaba se envolvendo com Tsukiko. Assista aqui.

Tomie: Another Face (1999): Este aqui conseguiu ser ligeiramente melhor que o primeiro. Nesta trama, há várias estórias, cada uma mostrando uma Tomie semeando o mal por aí. A primeira foi a única, uma estória escolar, mais ou menos parecida com alguma das estórias do mangá, mas ainda assim, todas as estórias têm a mesma base: Tomie faz os homens enlouquecerem por ela e isso acaba fazendo com que eles a matem, depois ela renasce. Ao contrário do primeiro filme, neste teve algum terror (não algo que faça você morrer de medo, mas houveram algumas cenas mais elaboradas) e não foi tão entediante. O único ponto super negativo é o fato de não explicarem o que, exatamente, é Tomie, de novo. No mangá, é explicado mais ou menos mas, neste filme, não. Assim, quem não leu o mangá pode ficar confuso. Uma diferença notável que teve entre este filme e o mangá foi o fato de, no mangá, quando alguém coloca fogo em Tomie, ela morre de verdade; no filme, ela é indestrutível, mesmo tendo seu corpo queimado. Outra diferença foi de, em um dos enredos, duas Tomies serem, aparentemente, amigas. No mangá, isso não era possível: uma buscava destruir a outra.
Finalizando, digo que este filme não foi de todo ruim; mas também não foi tãaao bom quanto poderia. Não é exatamente uma perda de tempo, só digo que há filmes melhores e de muito mais terror. Mas só mais uma coisa que eu preciso comentar: que voz irritante a desta Tomie! Assista aqui.

Tomie Replay (2000): Neste filme, o foco é o capítulo do mangá onde Tomie é morta e, ao chegar ao hospital, acabam por retirar seu rim e colocar em uma paciente que precisava. Então, já que Tomie "nasce" de novo a partir de qualquer pedaço seu, a garota começa a ficar com a barriga inchada. Os médicos, ao fazer um raio-x, logo descobrem o impossível (possível nesta estória): Tomie está crescendo dentro da garota.
Mas, ao contrário do capítulo do mangá, o filme não aprofunda nesta estória. Surge então Yumi, filha do diretor Morita, o que realizara a cirurgia para retirar a Tomie de dentro da garota e que desaparecera, procurando o paradeiro do pai. Enquanto isso, já que a nova Tomie fora deixada no hospital por ser uma coisa estranha, assim como no mangá, ela, claro, começa a infernizar o paciente Fumihito. Logo a filha do médico descobre que há uma pessoa por trás do desaparecimento de seu pai e decide investigar isso, até se deparar com Tomie.
Pelo enredo que eu escrevi, o resumo do filme, parece ser bem emocionante e cheio de acontecimentos...mas não é. Se eu havia me animado por causa do filme anterior, que foi mais ou menos não tão ruim, este foi tão ruim quanto o primeiro. Chato, apenas. Se ao menos houvessem cenas de terror ou coisas que nos assustassem, seria ótimo. Mas este filme conseguiu ser simplesmente ser chato e morno o tempo todo. Até as coisas que deviam assustar dão sono.
O final não foi tão ruim, já que os personagens conseguiram acabar com Tomie - esta Tomie, lembre-se que há mais no mundo - e, mais uma vez, não houveram explicações sobre o quê exatamente ela é. Assista aqui.

Tomie Re-Birth (2001): Neste quarto filme, o primeiro enredo é o onde, no mangá, Tomie serve de modelo para um pintor. Assim como na estória original, Tomie não gosta da forma que o pintor Hideo retrata sua beleza. Como esperado, o pintor a mata e seus dois amigos Takumi e Shunichi ajudam-no a enterrar o corpo.
Tomie renasce e volta para atazanar os três, destruindo seus relacionamentos amorosos e familiares. Eles querem se livrar de Tomie, mas acabam caindo em loucura pela mesma, o que os leva a ficar ciumentos, possessivos e insanos.
Sobre este filme, não tenho muito o que dizer. Os enredos são os do pintor e há, também, um outro episódio que estava no mangá (sobre o cabelo de Tomie). Houve também um incidente onde, ao ter contato com um objeto de Tomie, a namorada de um dos amigos torna-se Tomie também, como houveram muitas vezes no mangá (de personagens acabarem se tornando uma das Tomies). Ao contrário do segundo filme, onde duas Tomies são aparentemente amigas, neste, uma quer destruir a outra, como no mangá.
A estória é confusa ás vezes, mas houveram alguns efeitos (não efeitos incríveis (é 2001, né)) que deixaram um pouco de terror e, outros, como na cena onde o corpo de Tomie cresce novamente, foram bem nojentos, mas contribuíram para que não ficasse tão chato. Mas uma coisa que preciso comentar: dei boas gargalhadas com um dos amigos, o Shunichi! Como ele havia ficado louco por Tomie também, estava fazendo coisas insanas e agindo de forma muito estranha. Mas era MUITO engraçado mesmo. Ele, tipo, era escandaloso e esperneava na rua, chamando-a. Muito cômico!
Não achei o filme muito ruim, na verdade. Está no mesmo nível que o segundo. Assista aqui.

Perdoem a qualidade das imagens, os filmes são muito antigos~
Forbidden Fruit (2002): Acho que este foi o filme que menos se pareceu com o mangá. Tomie Hashimoto é uma garota que sofre bullying e escreve estórias homossexuais eróticas. Tomie vive com seu pai viúvo, Kazuhiko Hashimoto e é muito solitária. Um dia, acaba conhecendo uma garota muito bonita e, curiosamente, esta revela também se chamar Tomie. As duas logo se tornam muito amigas (e amantes também) mas é revelado que Kazuhiko conhecera Tomie em sua juventude e, mais que isso; era apaixonado por ela e acabou matando-a por ciúmes. Mesmo depois de ter matado Tomie, Kazuhiko continuava a amá-la, a ponto de dar o nome dela para sua filha.
Tomie, claro, estava o tempo todo atrás do pai de Tomie Hashimoto. Não entendi bem se ela queria vingança ou queria reatar o relacionamento mas, obviamente, consegue que Kazuhito fique louco por ela novamente, colocando em risco a própria filha. Ao mesmo tempo, Tomie Hashimoto não desiste de Tomie: ainda a quer como amiga  e namorada.
Este filme foi bem chato e confuso. A personagem principal, Tomie Hashimoto, é uma burra. Primeiro, sofria bullying porque queria (as garotas da escola falavam para ela fazer as coisas e a idiota fazia); Depois, mesmo com o pai dela quase matando-a para ficar com a Tomie, ela ainda gostava dela e queria ficar com ela; E, por último, depois que os dois conseguiram se livrar de Tomie, ela guarda a orelha dela na esperança de que ela renasça, cresça e ela possa "educá-la" para as duas serem amigas de verdade (Mas mal sabia ela que a Tomie já nasce má). Com esse romance das duas Tomie, mais uma vez digo que no mangá não tinha isso. Tomie só queria os homens. Os efeitos foram muito ruins mesmo e houveram umas partes super nojentas do corpo da Tomie crescendo de novo. Nada de terror, somente nojo mesmo. Acho que este filme empatou com o primeiro; ambos são terríveis. O único ponto positivo foi o da personalidade desta Tomie. Achei bem parecido com a do mangá. Assista aqui.

Beginning (2005): Este filme é "contado" pela estudante Reiko, que fala sobre como aconteceu a ruína da escola secundária. Tudo começou por causa da aluna nova, Tomie Kawakami. Muito bonita, logo Tomie atrai todos os homens (incluindo o professor), o que causa inveja e raiva às alunas. Como em alguns dos outros filmes, Tomie logo faz amizade, com conotações românticas, com a garota excluída (neste caso, a Reiko) e acaba revelando pouquíssimo sobre como ela adquiriu estes poderes.Como esperado, os homens começam a ficar possessivos e insanos; o que os levam a tentar matar Tomie.
Neste filme, os efeitos são horrivelmente horríveis (bem podres mesmo). Sangue jorrando parecendo tinta guache, para você ter uma ideia. E a parte mais escrota é a da orelha da Tomie, após ser cortada, "rastejando" pelo chão. ;~;
Não tenho muito que falar, foi bem ruim mesmo, e muito chato. Não odiei, mas não gostei e não veria de novo. Emoção 0. Assista aqui.

Revenge (2005): Este foi um dos mais chatos. Uma médica, não entendi muito bem como, acaba em uma estrada procurando uma garota com uma pinta abaixo do olho esquerdo mas encontra uma cabana cheia de homens loucos e uma garota inconsciente. Ela leva a garota para o hospital, mas esta não se lembra de nada que passou. Daí o resto é deduzível: Tomie é a tal garota na estrada e volta para infernizar deixando os homens obcecados. Esta é, em parte, a estória do mangá onde um homem estava viajando pela neve e acaba se deparando com Tomie e desaparecendo, depois seu irmão vai procurá-la e encontra-a devorando-o. Não aconteceu nada de mais, além disso, e foi muito entediante mesmo. Tomie apareceu quase no final (a personagem principal não tem destaque, como assim?) ! Mais uma vez, colocaram um romance entre as personagens onde não tem. Não gostei da atriz que interpretou a personagem principal, achei a cara dela muito chata (perceba pela foto). Assista aqui.

Tomie vs Tomie (2007):  Neste, conhecemos um homem com um passado que começa a trabalhar em uma fábrica e conhece Tomie, uma garota muito bonita e misteriosa. Ele não sente nada por ela e isto intriga-a. Então, o contrário do que estamos acostumados acontece: Tomie se torna obcecada pelo homem. Começa o conflito onde surgem duas Tomies que brigam entre si, sendo, pela primeira vez, fiel ao mangá neste quesito (mas acho que não usaram a mesma atriz para fazer as duas Tomies). A estória foi bem chatinha e houveram uns efeitos bem toscos mesmo, tipo a Tomie saindo de dentro da barriga do homem pois este havia comido seus pedaços. Esta parte foi fiel ao mangá pois quem come ou entra em contato com algum pedaço da Tomie acaba virando uma Tomie, mas acho que foi errado aqui já que ao, em vez de virar uma, criar outra dentro de seu estômago. Achei confuso em algumas partes. Assista aqui.

Unlimited (2011): Este foi de longe o melhor de todos os filmes. E não é porque é o menos ruim: na verdade, foi bom. Isso me surpreendeu muito. Depois de 8 filmes horríveis, eu esperava ver mais um horrível e acabei gostando. Neste, a estória é semelhante ao primeiro capítulo do mangá. Tsukiko é um membro do clube de fotografia da escola e tem uma queda por Toshio. Sua irmã, Tomie, parece também ter interesse no garoto mas Tsukiko não fica brava por causa da beleza da irmã. As duas se davam muito bem e Tomie era bem agradável, mas ela acaba morrendo em um acidente bizarro. Desde então, Tsukiko passa a ter pesadelos com a irmã. No dia do aniversário de 18 anos da Tomie, um ano depois, os pais decidem "comemorar". Depois de cantar os parabéns, Tomie aparece, deixando todos confusos e maravilhados ao mesmo tempo, por tê-la de volta. Mas Tomie não é a mesma. Agora ela parece cruel e tem uma aura estranha. Tsukiko não consegue ficar feliz com algo tão estranho acontecendo, e seu pai também parece estar agindo estranho.
A partir daí, começam os eventos curiosos e sobrenaturais em casa e na escola. Tomie é cruel com a própria irmã e desperta a loucura em todos os homens que conhece. Podemos ver, neste filme, várias estórias do e elementos do mangá. Houveram coisas bem nojentas - como no mangá - mas como os efeitos são bem toscos, não dá para se ter medo. Gostei da atriz escolhida para interpretar a Tomie (pela primeira vez, yay) achei-a parecida com a do mangá e a personalidade da personagem no filme também combinou. Em geral, foi mesmo um bom filme, mas achei que o final foi meio lento (algumas partes dispensáveis e confusas). Outra coisa que me incomodou foi o fato de, mais uma vez, haver uma conotação romântica entre as duas personagens. Não entendo de onde as pessoas tiraram isso; vou reler o mangá de novo para ver se o problema é comigo que esqueci de algo haha
Como é de se esperar, não houve um final pois Tomie nunca morre. É, com certeza, melhor que o primeiro filme. Assista aqui.

Sinceramente, de forma geral, os filmes foram uma decepção. Teve alguns que dividi em mais de uma parte porque eu ficava muito entediada. Só continuei porque gostei muito do mangá e tinha curiosidades para conhecer as adaptações (e tinha, também, aqueles domingos de tédio ou preguiça de fazer algo mais produtivo). Não há terror algum nos filmes, os efeitos são muito toscos, mas dá para se rir de algumas coisas. Os que mais gostei foram o segundo, quarto e o último (o último foi o melhor de todos) mas indico apenas para aqueles que leram e gostaram do mangá, aqueles que gostaram do estilo sem pé nem cabeça do autor e não se importarão em ver algo nonsense.