Livros Que Abandonei (ou pausei)

Olá! (づ ̄ ³ ̄)づ Eu realmente não gosto de abandonar livros, por mais ruins que sejam. Detesto aquela sensação de coisa inacabada, sabe? Mas tem algumas leituras que simplesmente empacam ou não me encontro no ritmo. Hoje venho falar destes livros que abandonei ou pausei.


Todos são e-books e muitos comecei em momentos de tédio. Sempre ouvia falar bem da série Orange Is The New Black, e me parecia ser bem divertida e cheia de humor negro, pelas imagens que via. Decidi um dia começar a ler o livro que a inspirou, e acabei me decepcionando, pois é sobre a vida da autora, Piper Kerman, que foi presa ainda jovem por causa de drogas. Percebi que se trava de um livro bem sério, que retratava a realidade de mulheres presidiárias, e acabei me desanimando por não querer uma leitura tão séria no momento.
Através do Espelho, de Jostein Gaarder é um infanto-juvenil, passado no Natal, que comecei a ouvir (audiobook). Infelizmente, não consegui me prender à leitura e acabei abandonado. 
O Inferno de Gabriel era uma série que viva ouvindo falar na época de lançamento de cada livro e, muito tempo depois que a febre passou, decidi procurar para ler. O enredo parecia bom, misturando algumas lendas com o romance dos personagens, mas não consegui avançar muito na leitura por causa dos protagonistas. É muito daquela coisa clichê onde o homem é forte, rude, bonito como um deus, e a menina é delicada, desastrada, precisa de cuidados, bobinha, inocente. 
Eu adoro filosofia e, apesar de não ler muitos livros do gênero, leio fácil um quando pego. O Discurso do Método conheci quando estava estuando sobre René Descartes e resolvi começar a ler. Encontrei muitas passagens interessantes sobre o ponto de vista do autor, mas decidi pausar o livro para terminar minha meta de leitura do ano.
Via muita gente comentando sobre o livro Precisamos Falar Sobre O Kevin, que é inspirado nos tantos jovens que cometem chacinas na escola sem nenhum motivo que conseguimos compreender. Sempre me pareceu um livro forte, e me surpreendi quando, ao começar a ler, percebi que a protagonista era a mãe do personagem, contando como em uma carta, sua ansiedade por não entender o filho. Foi interessante, afinal, nunca sabemos dos pais do jovem quando acontece algo do tipo. Estava lendo no Kindle e fechei para fazer outras coisas e nunca mais continuei, mas pretendo retomar um dia, parece ser intrigante e nos levar a entender a mente destas pessoas.
Muita gente deve conhecer o termo Lolita, mas não saber de onde se originou. Eu também não sabia, até conhecer o Lolita, de Vladimir Nabokov, que traz um homem de meia idade com um romance com uma garota jovem ainda na pré-adolescência, chamada Dolores. É um livro bem polêmico, que causa opiniões controversas, e por isso decidi lê-lo um dia. Infelizmente, o começo é muito enrolado, e acabei me entendiando.