Objetos Cortantes, Gillian Flynn

Olá, boa noite leitores! (=・ω・=) Mais um post saindo hoje, uma resenha do último livro que li.

Informações:
Título:                       Objetos Cortantes
Gênero:                     Suspense e Mistério
Editora:                    Intrínseca
Ano:                          2015
Páginas:                    254
Autora:                     Gillian Flynn
Sinopse: Uma narrativa tensa e cheia de reviravoltas. Um livro viciante, assombroso e inesquecível. Recém-saída de um hospital psiquiátrico, onde foi internada para tratar a tendência à automutilação que deixou seu corpo todo marcado, a repórter de um jornal sem prestígio em Chicago, Camille Preaker, tem um novo desafio pela frente. Frank Curry, o editor-chefe da publicação, pede que ela retorne à cidade onde nasceu para cobrir o caso de uma menina assassinada e outra misteriosamente desaparecida. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã, praticamente uma desconhecida. Mas, sem recursos para se hospedar na cidade, é obrigada a ficar na casa da família e lidar com todas as reminiscências de seu passado. Entrevistando velhos conhecidos e recém-chegados a fim de aprofundar as investigações e elaborar sua matéria, a jornalista relembra a infância e a adolescência conturbadas e aos poucos desvenda os segredos de sua família, quase tão macabros quanto as cicatrizes sob suas roupas.

Camille Preaker é uma jornalista mediana, não se destaca no trabalho. Ela trabalha para um jornal pouco popular de Chicago e, quando seu editor-chefe sabe de um caso na cidade de Wind Gap, no Missouri que eles poderão cobrir na frente dos outros jornais e conseguir a "glória", Camille é enviada para lá.
Algumas vezes minhas cicatrizes pensam sozinhas.
Wind Gap é sua terra natal, uma pequena cidade onde todos conhecem todos. Ela pretende ficar ali por pouco tempo, só até ter material o bastante para noticiar o caso que está havendo ali, onde uma menina foi encontrada morta há alguns meses e outra se encontra desaparecida. Mas estar no lugar onde viveu toda sua infância e adolescência faz mal a Camille.
Ela se hospeda na casa de sua mãe, Adora, uma mulher que nunca a amou de verdade. A convivência traz à tona as lembranças tristes da irmã que perdera quando criança, claramente a "favorita" de Adora, e Amma, sua meio-irmã de treze anos, com quem nunca tivera contato antes. 
Enquanto tenta desvendar o mistério por trás do desaparecimento das garotas, Camille fica cada vez mais perto de ter grandes segredos sobre sua família revelados.
Todo mundo tem um momento em que a vida sai dos trilhos.
Eu estava procurando um livro com mistério para ler e encontrei este. Por ser de uma autora que já conhecia, em Garota Exemplar, e havia gostado muito, decidi dar uma chance e desde o começo fui envolvida na narrativa. Neste  outro livro que eu li, como havia comentado na resenha, a narrativa não estava me prendendo até a metade, mas Objetos Cortantes me ganhou desde as primeiras páginas.
O livro é todo narrado por Camille, que vai revelando cada vez mais sobre sua vida, seu passado cheio de marcas, e contando sobre a cidade onde a estória se passa, que tem muitos personagens peculiares, por assim dizer.
— Ah, tudo bem — disse, e começou a dar tapinhas com a mão direita. Se consolando. Senti pena dele de novo. — Não sei se algo voltará a ser bom um dia novamente, então é difícil avaliar se está melhor ou pior, entende o que quero dizer?
— Algo como: este lugar é horrível e eu quero morrer, mas não consigo pensar em nenhum outro lugar onde gostaria de estar — sugeri.
Na verdade, tenho notado que a narrativa da Gillian Flynn está mais caracterizada pela vontade de chocar o leitor a todo momento. Achei um pouco forçado isso, há certas descrições e lembranças bem dispensáveis, mas não atrapalhou. Isso apenas deixa a estória mais forte, abordando assuntos como sexualidade precoce, bullying, alcoolismo, drogas, entre outros e, claro, auto-mutilação.
Objetos Cortantes possui este título devido ao fato de Camille se cortar desde a adolescência. O livro trabalha bastante essa parte psicológica e realmente vira a personagem do avesso, mostrando cada detalhe de seu passado e personalidade. Eu senti muita pena dela em vários momentos mas também a admirei por, mesmo desabando, continuar suportando e desvendando os mistérios.
As pessoas ficam fascinadas ao ver seus nomes impressos. Prova de existência. Eu podia imaginar um bando de fantasmas revirando pilhas de jornais. Apontando para um nome na página. Está vendo, eu estou aí. Eu lhe disse que vivi. Eu lhe disse que fui alguém.
Por falar nos mistérios, realmente me prenderam e me deixaram totalmente curiosa para descobrir quem estava por trás. Na verdade, desde o começo eu tinha minhas suspeitas e primeiro fiquei decepcionada quando descobri quem estava por trás de tudo, mas depois gostei muito do que veio depois. Tudo se desenrola em um bom ritmo, com pistas surgindo aos poucos e tomando rumos cada vez mais macabros.
Mesmo eu não me surpreendendo totalmente com o desfecho, gostei muito e houveram explicações bem sombrias que mostram, assim como Garota Exemplar, mentes perturbadas e complexas por trás. Li Objetos Cortantes rapidamente e gostei muito, recomendo muito para quem gosta de uma trama com crimes e mistérios, estórias fortes com mentes perturbadas.

Avaliação:
★ ★ ★ ★ ★