O Adulto, Gillian Flynn

Boa noite, pessoas! ʕ ﹒ ᴥ ﹒ ʔ Acabei de ler este conto, que fazia tempos eu estar deixando de lado (em parte por causa dos comentários negativos que li), mais uma obra dessa autora. Acho que li todos seus livros lançados até agora então, e estou ansiosa pela série de Objetos Cortantes (eu adorei o livro!).

Informações:
Título:                       O Adulto
Gênero:                     Romance, Suspense
Editora:                    Intrínseca
Ano:                          2016
Páginas:                    64
Autor:                       Gillian Flynn
Sinopse: Vencedor de um Edgar Award, O adulto, de Gillian Flynn é uma homenagem às clássicas histórias de terror. Uma jovem ganha a vida praticando pequenas fraudes. Seu principal talento é a capacidade de dizer às pessoas exatamente o que elas querem ouvir, e sua mais recente ocupação consiste em se passar por vidente, oferecendo o serviço de leitura de aura para donas de casa ricas e tristes. Certo dia, ela atende Susan Burkes, que se mudou há pouco tempo para a cidade com o marido, o filho pequeno e o enteado adolescente. Experiente observadora do comportamento humano, a falsa sensitiva logo enxerga em Susan uma mulher desesperada por injetar um pouco de emoção em sua vida monótona e planeja tirar vantagem da situação. No entanto, quando visita a impressionante mansão dos Burke, que Susan acredita ser a causa de seus problemas, e se depara com acontecimentos aterrorizantes, a jovem se convence de que há algo tenebroso à espreita. Agora, ela precisa descobrir onde o mal se esconde, e como escapar dele. Se é que há alguma chance. Em seu estilo inconfundível que arrebatou milhares de fãs, Gillian Flynn traça surpreendentes e intrigantes perfis psicológicos dos personagens e tece uma narrativa repleta de suspense ao mesmo tempo em que brinca com elementos clássicos do sobrenatural. Gillian Flynn figurou nas principais listas de mais vendidos do Brasil com o best-seller Garota exemplar e seus livros somam mais de 200 mil exemplares vendidos no país. O adulto, vencedor do Edgar Award de melhor conto de 2015, foi escrito por Gillian a pedido de George R. R. Martin e publicado pela primeira vez em uma antologia organizada pelo autor.

A protagonista de O Adulto conhece bem as pessoas e é, de certa forma, uma charlatã. Depois de prestar pequenos serviços sexuais a clientes de uma loja de espiritualismo, hoje ela mesma atende a alguns clientes, fingindo ter esse tipo de dom.
Um dia ela recebe uma nova cliente, mais uma mulher atormentada. Entretanto, há algo diferente de outros casos; ela diz haver algo de errado com seu enteado. Precisamente, depois que eles se mudaram para a atual casa.
A "clarividente" decide, então, usar a boa e velha tática de dar ao cliente o que ele quer. Aceita fazer trabalhos no local, limpando a casa, espalhando sais e oferecendo palavras de consolo. Entretanto acaba se deparando com situações que colocam em dúvida sua experiência. Existiria mesmo um sobrenatural?
O Adulto é a quarta obra que leio da autora e, como sempre costuma acontecer, fui pega facilmente pela narrativa. Sempre é bastante forçada em alguns pontos, ávida por provocar polêmicas, mas possui essa magia que envolve o leitor.
A personagem logo me agradou, novamente sendo bem construída, "errada" e tão bem trabalhada psicologicamente. Todo esse conhecimento sobre as outras pessoas, apenas de dar algumas olhadas, é bem legal.
O mistério sobre a tal casa e o enteado prendem, me levando a perguntar se experimentaria, pela primeira vez, uma estória sobrenatural da autora, que até então escrevia thrillers. Assim veio, com o desfecho, uma reviravolta.
Fui pega de surpresa, não esperava que as coisas seguissem um caminho assim. Só que a verdade verdadeira veio depois, me deixando um pouco duvidosa. Demorei um pouco para engolir, mas acabou não sendo tão ruim como eu havia esperado após ler outras resenhas.
Cheguei a soltar uma "Ha!" de divertimento, pois foi interessante ver o "feitiço virando contra o feiticeiro" e, no fim, saber que nossa protagonista não é tão esperta afinal. Não adorei, mas foi curioso.
Ah, e só agora percebi que a protagonista não ganhou nome!

Avaliação:
★ ★ ★ ★ ☆

Nenhum comentário:

Postar um comentário