Sobre A Meta De Leitura

Oláa! ʕ ∗ •́ ڡ •̀ ∗ ʔ O ano está acabando e hoje venho contar sobre minha meta de leitura, que falei aqui, Foi a primeira vez que fiz uma meta e pensei que seria bem tranquilo, mas acabei me atrapalhando por causa de tantos livros maravilhosos que comprei. E, não, não me arrependo de tê-los comprado e lido HAHAHAH Mas, com muita força de vontade, abandonei outras atividades menos importantes (como meu amado RuPaul's Drag Race) no fim de ano e me dediquei à leitura dos livros que faltavam.
No fim, tive uma experiência muito diferente e divertida, onde alguns dos livros que eu tinha altas expectativas acabaram decepcionando e os que eu nunca imaginaria, acabei amando. Mas o melhor é que concluí a meta!
Em 2015 tive 110 leituras, um pouco a mais em 2014 e, para falar a verdade, é um pouco ruim ficar presa à uma meta, mas decidi participar do desafio I Dare You, que achei bem mais tranquilo. O I Dare You (tradução: Eu Te Desafio) é um desafio literário que tem como objetivo incentivar a leitura de diferentes gêneros, fazendo com que o leitor expanda o seu conhecimento literário, aumente a sua lista de livros lidos, ou até leia aquele livro que está parado na estante por muito tempo. [Retirado do site]
I Dare You - Desafio Literário
Funciona com uma lista de gêneros/categorias que devemos ler em determinado mês (mas apenas uma delas é obrigatória), e depois publicar nossas opiniões sobre as leituras.
Achei muito mais fácil porque eu não preciso, necessariamente, determinar quais livros lerei. Para saber mais sobre o projeto e se inscrever, clique aqui. Além deste desafio, pretendo atingir no ano que vem mais leituras que tive neste ano. Sei que será difícil, pois estarei me dedicando aos estudos, mas percebi que eu leio geralmente 105 a 110 por ano (contando mangás e contos), então eu realmente gostaria de ultrapassar este número. Mas sem pressão HAHA
Segue abaixo a lista de leituras (com resenhas!) da meta de 2015:

Por Toda Eternidade, Kristin Hannah;
Paperboy, Pete Dexter;
Tocada pelas Sombras, Richelle Mead;
Promessa de Sangue, Richelle Mead;
Laços do Espírito,  Richelle Mead;
Último Sacrifício,  Richelle Mead;
Por favor, cuide da mamãe, Kyung-sook Shin;
Os assassinos do Cartão-Postal, James Patterson;
Pluvia, Erica Azevedo;
Era Uma Vez um Corredor, John L. Parker JR.
A outra vida, Susanne Winnacker;
Casa de Segredos, Chris Columbus;
Apegados, Amir Levine, Rachel S.F. Heller;
Amor nas Baladas, Sula Gava;
A Vidente, Hannah Howell;
Leviatã - A Missão Secreta, Scott Westerfeld;
Os Goonies, Steven Spielberg;
Como fui esquecer de você, Jenifer Echols;
Morte na flip, Paulo Levy;
O Jogo da Mentira, Sara Shepard;
Sonhe Mais, Jai Pausch;
Ressurreição, Jason Mott;
Brilho, Amy Kathleen Ryan;
A Estrada da Noite, Joe Hill;
Vinte Garotos no Verão, Sarah  Ockler;
A Seleção, Kiera Cass;
A Última carta de amor, Jojo Moyes;
Uma proposta irrecusável, Jill Mansell;
Lições do Desejo, Madeline Hunter;
Sangue No Inverno, Mons Kallentoft;
O Teste, Joelle Charbonneau;
O Ritual, Jessica Anitelli;
Marley & Eu, John Grogan;

Para ver as demais leituras que tive, você pode clicar aqui e ver minha estante do Skoob.
Estou devendo a minha lista de leitura de vários meses, mas o post ficará enorme (mais do que já está), então talvez mais tarde eu faça outro post com elas.

Pensei em eleger quais foram minhas melhores e piores leituras do ano de 2015, mas também falar dos filmes que assisti, doramas e mangás, então lá vai:
Livros - Melhores Do Ano
É realmente difícil quais foram as melhores leituras do ano todo, pois houveram muitos livros bons. A Última Carta De Amor, resenhado, A Casa Das Belas Adormecidas, e Por Favor, Cuide Da Mamãe.
Livros - Piores Do Ano
Entre as piores leituras estão 100 Escovadas Antes De Ir Para A Cama, Savage Moon Rising, ainda sem resenha, e (estou colocando meu pescoço na guilhotina por colocar um livro clássico, eu sei HAHA) Triste fim de Policarpo Quaresma, que detestei acho que, principalmente, por ter lido por obrigação da escola. 
Doramas - Melhores Do Ano
Ma Boy Prosecutor Princess My Unfortunate Boyfriend
Vi poucos doramas neste ano, comparado ao ano passado, mas tiveram estes três que ganharam completamente meu coração. Ma Boy, este mini drama de três episódios muito fofo, em seguida My Unfortunate Boyfriend, que não me atraiu muito no início mas depois acabei amando tanto que se tornou um dos favoritos de todos. Mas o melhor de todos, que amei completamente, é Prosecutor Princess, que decidi ver por causa do ator Park Shi Hoo e amei muito mesmo.
Doramas - Piores Do Ano
Lie to Me Protect the BossCheongdamdong Alice
Como vi poucos doramas, é difícil escolher muitos para as duas categorias, então entre os piores coloco apenas dois, Lie to Me, que eu gostei muito no começo mas me decepcionou por várias coisas, e Cheongdamdong Alice, que foi onde conheci o ator favorito Park Shi Hoo, mas que, infelizmente, me desagradou por vários pontos que explicarei na resenha. Mas acho que o pior de todos, que nem consegui terminar de tão ruim que achei, foi Protect The Boss. Para ver os outros doramas que vi neste ano e nos outros, clique aqui.
Filmes - Melhores do ano
Neste ano vi tantos filmes, tantos bons, que é difícil eleger os melhores! Mas entre eles, depois de muito pensar, estão Confession Of Murder, 200 Pounds Beauty e a Werewolf Boy.
Filmes - Piores Do Ano
Entre os piores, é fácil escolher. A adaptação do mangá Uzumaki, que ficou horrível de desconexa, e todos os filmes da Tomie (adaptação do mangá resenhado aqui). Mas o pior de todos mesmo foi Sadako 3D, um filme longo e sem nenhuma emoção a não ser tédio.
Mangás - Melhores Do Ano
  
Neste ano li um número razoável de mangás, e muitas excelentes leituras. Entre os melhores então Helter Skelter, que traz tantas mensagens e reflexões sobre o cruel mundo do entretenimento e sobre os padrões de beleza, o fofíssimo Ai wo Utau Yori Ore ni Oborero!, o primeiro shoujo que gostei de verdade, e Uzumaki, esta obra de horror que favoritei e me fez conhecer o autor e outras obras incríveis.
Mangás - Piores Do Ano
 
Foram poucos os mangás que não gostei, estas duas obras Disc e My Beloved Lady, ambas de Shintaro Kago (resenhas aqui) e Tokyo Akazukin, que eu sequer cheguei a terminar por causa do desconforto que me trouxe. É um mangá de horror, porém com lolicon e guro, e isso me deixou desconfortável por a personagem, apesar de ser uma espécie de demônio, ter corpo de criança.

#Livros #Mangás #Doramas #Filmes #IDY

Nenhum comentário:

Postar um comentário