Helena, Machado de Assis

Olá, bom dia! ㅇㅅㅇ Saindo mais uma resenha literária, este livro de um dos autores de clássicos da literatura brasileira.

Informações:
Título:                        Helena
Gênero:                      Clássico
Editora:                     Martin Claret
Ano:                           2007
Páginas:                     159
Autor:                        Machado de Assis



Sinopse: Filha bastarda do conselheiro Vale, a jovem e bela Helena é reconhecida por ele em testamento e passa a viver na mansão da família. Só então conhece Estácio, apresentado a ela como seu irmão. Mas entre eles despertou o amor. E agora?



O conselheiro Vale, centro de uma abastada família, faleceu e deixou em seu testamento uma novidade para seus familiares. Neste ele lhes apresenta mais uma pessoa que há de receber de sua herança: Helena, sua filha até então desconhecida por todos.
Isso causa surpresa e desagrado em todos mas, quando a moça jovem aparece ali, seus corações vão amolecendo diante tanta meiguice.
"as dores alheias fazem lembras as próprias (...)."
Helena parece saber como conquistar cada um, sempre simpática e afetuosa. Não demora muito para que ela fique próxima de seus parentes novos, principalmente Estácio, filho do conselheiro e, portanto, seu meio-irmão. Com ele, ela passa a trocar confidências, sempre mantendo por vezes certa melancolia e muito mistério sobre sua origem.
"Valem muito os bens da fortuna, dizia Estácio; eles dão a maior felicidade da terra, que é a independência absoluta. Nunca experimentei a necessidade; mas imagino que o pior que há nela não é a privação de alguns apetites e desejos, de sua natureza transitórios, mas sim essa escravidão moral que submete o homem aos outros homens."
Eu estou tentando variar mais minhas leituras e, para introduzir alguns clássicos, escolhi Helena ao acaso. Minha última experiência com o aclamador autor Machado de Assis não foi tão boa (comentei aqui) porque eu tive de ler por obrigação da escola e eu costumo odiar qualquer coisa que eu faça por obrigação. Quando terminei este livro percebi que era isso realmente que me fez detestar Dom Casmurro; e realmente, eu não odiei a leitura porque li por vontade própria HAHA
"Sobretudo, peço-lhe que escreva em seu espírito essa verdade: é que sou uma pobre alma lançada num turbilhão."
Gostei de Helena, na verdade. Não achei que fosse uma estória que é toda instigante com vários acontecimentos e reviravoltas, mas deixa bastante mistério sobre a personagem Helena.
Além disso, tem uma narrativa boa, fácil de acompanhar e flui bem. Mesmo as descrições de dia-a-dias minuciosos não faz do livro algo arrastante.
"O poeta que disse que a saudade é um pungir delicioso, não consultou meu coração."
Há muitos personagens, com bastante destaque e bem construídos. O foco permeia bastante Estácio, trazendo outros conflitos além do relacionamento com a irmã. Admito que não foi um personagem que me simpatizou. Helena também não me agradava tanto mas, mais para o fim do livro, com tantos acontecimentos, acabei sentindo pena dela.
O final traz várias revelações, e esta parte prendeu bastante. Alguns dos desfechos eram previsíveis desde a primeira página, mas outros me surpreenderam bastante.
O que eles disseram um ao outro, com os simples olhos, não se escreve no papel, não se pode repetir ao ouvido; confissão misteriosa e secreta, feita de um a outro coração, que só ao céu cabia ouvir, porque não eram vozes da terra, nem para a terra diziam eles. 
No fim, o livro que comecei sem expectativa alguma acabou sendo uma boa leitura! É uma estória bem construída, com bons diálogos carregados de reflexão. Fico triste por não ter aproveitado também o outro livro do autor que li, por ter sido leitura obrigatória bem em uma época cansativa (último ano do ensino médio), talvez um dia eu releia-o.

Avaliação:
★ ★ ★ ★ ☆